Curiosidades

Glossário do surf: uma maneira única de falar

A história do surf é muito antiga, deslizar em ondas era algo que povos polinésios, responsáveis por povoar grande parte das ilhas do oceano pacífico, já faziam.

Na década de 40 o esporte se popularizou nos Estados Unidos e nos anos 50 já começavam a surgir adeptos no Brasil, tudo isso para dizer que lá se vão muitos e muitos anos de história.

E como quase tudo que tem muita história e muita gente envolvida, acaba ganhando um jeito, um vocabulário próprio, com surf não foi diferente. Hoje o MyQuiver apresenta um glossário do surf, com informações que garimpamos na net para vocês! Confere só de A a W!

A

ABRASP – Associação Brasileira de Surf Profissional. Criada em 11 de novembro de 1986, é a entidade máxima do surf profissional no país, sendo a responsável pela realização das competições nacionais e internacionais em território brasileiro.

Alisar – Quando o mar acalma, deixa de ficar mexido. Também quando uma pessoa, ao surfar, não realiza manobras fortes, não radicaliza.

Aloha – Saudação havaiana de boas-vindas.

Amarelar – Ter medo, fugir.

Arpex – Abreviatura da praia do Arpoador, no Rio de Janeiro. Um dos mais importantes picos do país e um berço do surf no Brasil.

ASP – Association of Surfing Professional. Órgão máximo que dirige o surf profissional a nível mundial, organizando os dois maiores campeonatos: o WCT e o WQS.

Astrodeck – Material feito com borracha especial, aplicado sobre a prancha, servindo como anti-derrapante.

Abar – Quando “roubam” suas coisas no surf, tipo: comida, parafina…

Aerial 360º – Variação dificílima da manobra citada acima, onde o surfista executa a mesma durante um vôo com a prancha.

Alternates – Surfistas reservas, que entram no lugar de algum atleta inscrito na competição.

Armar – Montar todos os componentes que fazem parte da prancha (quilhas, leash)

Arrebentação – Ondas que quebram perto da praia.

B

Back Door – Parte da onda que quebra da direita para a esquerda – para quem está olhando da praia.

Back Side – É quando o surfista pega onda posicionando-se de costas para ela.

Back Wash – Pororoca, ou seja, onda que vem ao contrário, da direção da areia.

Beach Break – Praia com fundo de areia.

Big Rider – Surfista que é bom e gosta de pegar ondas grandes.

Biqueira – Proteção colocada no bico da prancha para amortecer eventuais batidas em surfistas ou banhistas.

Biquilha – Prancha de duas quilhas. Elas proporcionam mais mobilidade que a monoquilha, mas menor controle e precisão, sendo mais úteis em ondas pequenas.

Bóia – É a pessoa que fica parada dentro d’água e os outros passam por ela e pegam as ondas e ela não.

Bolha – Área da prancha que se encontra danificada, podendo estar ou não com água.

Bottom Fundo – Parte do fundo da prancha (onde ficam as quilhas).

Batida – Manobra em que o surfista acerta a crista da onda com a parte de baixo da prancha.

Bottom Turn (Cavada) – Manobra onde o surfista faz uma curva na base da onda em direção do lip (crista da onda).

C

Cabrerão – O mesmo que medroso.

Cabuloso – Doideira, esquisito, estranho.

CBS – Confederação Brasileira de Surf.

Caldo – Quando o surfista cai da prancha e roda junto com a onda embaixo d’água.

Camisinha – Capa de prancha de tecido elástico que, ao ser colocada na prancha, se assemelha a um preservativo.

Casca grossa – Surfista muito bom em determinadas circunstâncias. Também situação ou coisa difícil, trabalhosa.

Copinho – Local da prancha onde se coloca o leash.

Crowd – Muita gente surfando numa mesma área.

Cut back – Manobra em que o surfista volta na direção contrária da onda e depois retorna na direção normal, formando um ’s’.

Coco – Onda muito cavada que quebra por inteiro sem abrir para lado nenhum.

D

Deck – Parte de cima da prancha (onde o surfista pisa).

Drop – Significa descer a onda da crista até a base.

Dogdoor – Sair da onda pela espuma/cortina (parte branca).

Drop/ dropar – Descer a onda da crista até a base.

E

Expression Session – Campeonato onde todos os surfistas entram na água e o vencedor é aquele que realiza a melhor manobra entre os competidores.

F

Flat – Mar liso, sem ondas.

Free Surfer – Surfista que não disputa os circuitos oficiais e que prefere viajar atrás de ondas perfeita. É aquele que surfa por prazer, no máximo para fazer fotos ou vídeos.

Front Side – Quando o surfista pega onda posicionando-se de frente para ela. Glass – Liso, água limpa e transparente, dia de ondas perfeitas, sem nenhum vento.

Floater – Manobra em que o surfista flutua, quase sem contato, com a crista da onda, quando ela já está quebrando.

G

Goofy – Atleta que surfa com o pé direito na frente da prancha, como Gabriel Medina.

Grab rail – Manobra que o surfista coloca a mão na borda da prancha para pegar um tubo de back side.

Grommet – Surfista jovem entre 10 a 12 anos.

Gun – estilo de prancha concebida para uso em ondas grandes.

H

Haole – É como os surfistas chamam os estrangeiros ou aqueles que não são frequentadores daquele lugar.

Hang Five – manobra realizada em uma prancha de longboard, que se executa quando o surfista caminha sobre a prancha colocando os 5 dedos do pé para fora do bico, como estivesse em um trampolim.

I

Inside – local das ondas da primeira arrebentação.

Isa – Onternation Surfing Association – órgão que refe o surf amador mundial.

J

John – Roupa de neoprene para proteger o corpo do frio ou água gelada. As variações são com manga, manga curta ou manga longa.

Jaca – O cara que fica horas para pegar uma onda e quando consegue leva um caldo.

Jojolão – Vacilão, cabaço, prego.

Juaca – Aquele que é bom em pegar tubos.

K

Kick- out – Um método de terminar os movimentos posicionando a prancha para cima e saindo por trás da onda quando ela fecha, voltando para o outside.

L

Lay day – Quando os organizadores do campeonato optam por adiar as baterias por conta das condições ruins do mar.

Lip – É a crista da onda, a parte superior da onda.

Line-up – A área fora da rebentação, onde surfistas ficam esperando pela onda.

M

Marola – Ondas pequenas.

Maroleiro – Surfista que gosta de ondas pequenas.

Master – Categoria para surfistas acima de 35 anos.

N

Noronha – Local onde não existem direitas nem esquerdas perfeitas. Local de ondas baixas.

O

Outline – Linha extrema da prancha que determina seu formato.

Outside – Parte do mar que fica mais para o fundo, onde as ondas ainda estão se formando.

On Shore – Mesma coisa que MARAL, ou seja, vento que sopra do mar para terra.

P

Parafina – Tablete de cera que é utilizada na prancha para proteger e aumentar o atrito, ajudando a manter a aderência dos pés do surfista.

Parede – Onde você efetivamente surfa. Parte de trás da onda que ainda não quebrou e sustenta a crista.

Pés – Medida inglesa usada no surf para medir pranchas e ondas.

Pico – A parte mais elevada da onda, que geralmente se “empina” e quebra primeiro. Lugar onde começa a quebrar a onda.

Prego – Pessoa que surfa mal.

Pró – Surfisa profissional.

Pala – Dar Bandeira é dar uma pala.

Pangas do Pântano – é aquele que mora na praia (caiçara), tem tudo para fazer o esporte (surfar) e tem medo do mar.

Paraíba – Banhista que lota a praia. Atrapalha a sua manobra no inside.

Pipocar – amarelar, ficar com medo de um mar grande ou similar.

Point Break – Praia com fundo de pedra.

Prego – Surfista que não sabe pegar onda muito bem.

Q

Quebra-côco – Quando a onda é oca e quebra rapidamente, prejudicando a prática do surfe.

Quiver – Um conjunto de pranchas, com comprimentos e formatos distintos.

Queixão – Surfista que dropa no rabo da onda de outro.

R

Rabeta – É a parte de trás da prancha.

Rabear – Entrar numa onda que pertence a outro surfista.

Rasgada – Manobra em que o surfista, depois da cavada, vai em direção à crista, mas, antes de chegar lá, usa força e agilidade para mudar de direção, voltando para a base.

Regular– Atleta que surfa com o pé esquerdo na frente da prancha, como Mick Fanning.

Reef – É a bancada, ou seja, o fundo do local onde a onda quebra. Pode ser uma bancada de coral, pedra ou areia).

Rip – estar em sua melhor forma.

Reef Break – Praia com fundo de coral.

S

Série -É a sequência de ondas que surge no mar.

Swell – É a ondulação, formada por tempestades no oceano.

Shaper – É o profissional que fabrica as pranchas de surfe.

Storm – o termo, que na tradução do inglês para o português significa tempestade, também é usado pelos surfistas para designar um mar grande e revolto, perigoso para a prática do surfe.

T

Tow in– É a prática mais extrema do surfe, quando o surfista de ondas grandes é rebocado para a onda de jet-ski ou até mesmo de helicóptero.

Triple Crown – Série de 3 competições realizada no Hawaii anualmente e que encerra o circuito mundial de surf.

Tub Riber – Surfista que é bom em tubos.

V

Vaca – Tombo; Queda; Wipe Out.

Varrer – Quando uma onda grande, ou série de ondas grandes pega todos desprevenidos no inside.

W

WCT – World Championship Tour, é a 1ª divisão do Circuito Mundial de Surf.

Wipe Out – Mesmo que Vaca; ou seja, tombo, queda.

WQS – World Qualifing Series, é a 2ª divisão do Circuito Mundial de Surf.

Wildcard– E o surfista que disputa um evento como convidado e que não precisa ter sido classificado pelo ranking mundial. Eles passam por um “qualyfing” (triagem, qualificatório) antes da disputa principal.

*Este glossário foi feito com informações já existentes na internet, o conteúdo é resultado de pesquisa de palavras e definições em diversos sites que falam sobre surf.

Clique para comentar

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

^ Subir