Biografias

Gabriel Medina: um Ídolo Nacional

Um cara simples e gente boa… Muitos que conhecem Gabriel Medina o descrevem assim. A estrela nacional do surf tornou-se ídolo bastante jovem, não diferente é a sua história com o esporte, que também começou cedo.

Medina começou a surfar aos 9 anos, a prancha já era sua paixão, e começava então os primeiros passos de Gabriel para escrever sua história dentro do surf. Sempre teve ao seu lado o apoio dos seus pais Simone e Charles Rodrigues, aliás Charles tornou-se também seu treinador, o triatleta aposentado embarcou no sonho do garoto.

Nascido em São Sebastião, Litoral norte de São Paulo, Gabriel tinha o mar ali bem pertinho como outro forte incentivador. Com apenas 11 anos venceu o primeiro campeonato nacional Rip Curl Grom Search na cidade de Búzios, Rio de Janeiro. Depois disso, cada vez mais, Gabriel foi dominando as categorias de base do país.

A vontade de conquistar algo em âmbito internacional foi crescendo, e aos 14 anos ele foi vice da Volcom Internacional Sub-14, no Equador também levou o vice-campeonato mundial amador Sub-16. Já com 15 anos, em julho de 2009, fechou contrato com a Rip Curl e profissionalizou-se. Apenas 10 dias depois ganhou seu primeiro título no circuito mundial em Floripa no WQS Maresia Surf International.

Considerado um dos mais fortes nomes do Braziliam Storm, em 2011 teve a oportunidade de partilhar ondas com ídolos, feras do surf e conquistar o WQS 6 estrelas Prime em Imbituba, Santa Catarina e os dois WQS 6 estrelas na França e na Espanha e assim Gabriel chegou ao WCT.

O ano de 2011 realmente foi especial para o atleta, além de ingressar na elite do surf mundial com apenas 17 anos, Medina ganhou mais fãs, forte repercussão na mídia por fazer um backflip na temporada e conquistar as etapas nos Estados Unidos e na França. Com mais experiência em 2014 conquistou o tão sonhado campeonato mundial.

Curiosidades sobre Medina

O mar e a prancha são suas paixões, mas Medina também curte futebol e é corintiano. Ainda falando em esportes, Gabriel também tem como um ídolo não só surfistas, é um grande admirador do piloto Ayrton Senna.

A dedicação total ao esporte fez com que Gabriel terminasse somente o ensino médio, mas o surfista garante que pretende continuar os estudos.

Medina tem dois irmãos mais novos, Felipe e Sophia. A caçula Sophia também tem inclinação para o surf.

O surfista não faz sexo durante os torneios, o atleta diz que em época de competição isso pode atrapalhar, então prefere encarar abstinência.

Ele odeia cerveja, prefere uma vodca. Quando criança não tinha outros brinquedos a não ser sua prancha e uma bola.

Gabriel é evangélico, frequenta os cultos da Bola de Neve, antes de entrar no mar e dormir faz suas orações.

Com seu primeiro cachê (R$25 mil) que ganhou ao vencer o WQS, na praia Mole, em Florianópolis, investiu metade na compra de um quadriciclo.

Dentro do surf seu maior ídolo é Kelly Slater. Aos 20 anos igualou com ele a marca de ser o mais jovem a conquistar um título mundial de surf.

O surfista gosta de cantar no karaokê, além disso também é louco por internet e ouvir música para relaxar. Quando o assunto é música, sua trilha sonora é “Como tudo deve ser” do Charlie Brown Jr.

Clique para comentar

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

^ Subir